FACILITAÇÃO, PROJETOS

Retrospectivas: A chave do sucesso das metodologias ágeis

Retrospectivas: A chave do sucesso das metodologias ágeis
Retrospectivas: A chave do sucesso das metodologias ágeis

Inspecionar e adaptar processos é uma prática conhecida há muito tempo e, ainda hoje, utilizada por muitas empresas para garantir a melhoria contínua.

É comum, ao final de projetos tradicionais, a equipe se reunir, juntamente com a gerência, para capturar lições aprendidas. Podendo as utilizar em projetos futuros.

Embora essa abordagem seja válida, ocorre que na maioria das vezes, os projetos são totalmente distintos e as equipes são formadas por outras pessoas.

Ou seja, o contexto é muito diferente e não se pode utilizar o mesmo caminho do sucesso. Além disso, a grande maioria dos projetos costumam demorar meses ou anos para a sua conclusão.

Esses fatos indicam que problemas encontrados no transcorrer do projeto serão levantados e discutidos apenas no final, ou seja, quando o projeto já acabou e nada mais pode ser feito.

Por esse motivo, muitas pessoas, já não lembram mais de incômodos que aconteceram durante o período. Outras, até lembram, mas não querem se indispor com algum colega ou com a gerência e acabam reprimindo a informação.

Os métodos ágeis costumam trabalhar em ciclos curtos, entregando partes do produto de forma incremental e não apenas ao final do projeto.

As retrospectivas foram adaptadas para acontecer ao final de cada um desses ciclos. Esse é o motivo dela ter tanta importância, pois, é possível refletir sobre curtos espaços de tempo e não somente quando o projeto acaba.

Conduzindo retrospectivas

Basicamente, em uma retrospectiva a equipe pára e analisa sua maneira de trabalhar. Existem diversas maneiras de se conduzir retrospectivas, a mais comum é com a discussão de três pontos:

  • O que ocorreu bem na sprint? Essa pergunta ajuda os membros da equipe reconhecer e compartilhar os pontos positivos, ou seja, as boas práticas que devem perdurar nas próximas sprints.
  • O que não correu bem na sprint? Aqui os membros são encorajados a analisar desafios enfrentados e obstáculos encontrados.
  • Quais ações podemos tomar para que os problemas não voltem a ocorrer? Essa pergunta permite que sejam levantadas ideias para ações de melhoria com o intuito de não passar mais pelo mesmo problema.

O fato de se fazer uma reflexão sobre dias ou poucas semanas de trabalho, traz uma série de benefícios para o projeto e para as pessoas que trabalham nele.

Talvez, a maior vantagem de fazer essa reflexão em curtos períodos de tempo, é que a memória ainda está fresca. Se algo foi incômodo para alguém, este provavelmente ainda se lembra do fato. Como o projeto ainda está em andamento, esse incômodo pode ser relatado e resolvido para a continuação do projeto.

O mesmo ocorre para boas práticas usadas por membros da equipe. Se for considerada benéfica para o projeto, pode ser adotada por toda a equipe para melhorar o andamento do projeto.

Outro fator considerável nas retrospectivas em projetos ágeis é que após o levantamento dos problemas e obstáculos, são elaborados planos de ação para estes, pelo próprio time.

Isso significa que a equipe analisa o que aconteceu, define as ações e os próprios membros da equipe executam. Como foi a própria equipe quem definiu as ações, o comprometimento é muito maior do que se fossem impostas pela gerência.

Por ser uma reunião somente da equipe, as pessoas tendem a se sentir mais seguras e confortáveis para falar livremente sobre suas frustrações. Além do mais, as retrospectivas tendem a discutir problemas sem levantar culpados ou fazer acusações e é um momento muito oportuno para livrar-se dos incômodos.

Por este motivo, é importante dar foco na solução destes entraves e dividir as responsabilidades entre os membros da equipe para que as mudanças realmente aconteçam.

De nada adianta apontar problemas que não vão ser resolvidos nunca.

Um ponto primordial é o aprendizado obtido nas retrospectivas. A cultura de aprendizagem germina no momento em que uma equipe percebe suas deficiências e começa a tomar medidas regulares para a melhoria.

Implementar práticas de melhoria é necessário para que os membros da equipe não cometam os mesmos erros no futuro. Eles evoluem como indivíduos e contribuem como melhores jogadores de equipe.

Também é muito valioso capturar os aspectos positivos, ou seja, tudo o que foi bom. Reconhecer o trabalho duro, identificar e compartilhar práticas bem sucedidas para que as mesmas continuem sendo aplicadas pela equipe.

A prática contínua de retrospectivas traz como resultado a descoberta de maneiras mais eficientes de trabalhar e oferecer melhor valor aos clientes.

E esse resultado é contínuo, ou seja, a cada retrospectiva a equipe pode encontrar uma forma melhor de se fazer algo.

Vale ressaltar que existem muitas equipes que ignoram as retrospectivas com o intuito de não perder tempo.

No entanto, ignorar a reunião de retrospectiva faz com que o feedback não seja compartilhado entre a equipe, não deixando nenhuma chance para melhorias que a equipe poderia trabalhar.

Você pode gostar também