MÉTODOS

O que são métodos ágeis?

O que são métodos ágeis
O que são métodos ágeis

O que são métodos ágeis? Essa não é uma pergunta rara de se escutar, principalmente, por pessoas que acabaram de descobrir  algum método ágil como o Scrum, XP ou Kanban. A curiosidade ou necessidade de descobrir rapidamente o significado e aplicação dos métodos ágeis, pode causar alguns problemas de interpretação, que posteriormente, irão se transformar em adoções ou utilizações mal sucedidas. Nesse artigo vou tentar te passar uma definição simples e direta do que são os métodos ágeis, portanto, se você está ou pretende começar com um método ágil esse artigo lhe será útil.

Definição rápida sobre métodos ágeis…

Os métodos ágeis são uma alternativa à gestão tradicional de projetos, eles nasceram nos braços do desenvolvimento de software, mas hoje podem ser aplicados a qualquer tipo de projeto (inclusive os que não se remetem ao software). Os métodos ágeis vem ajudando muitas equipes a encarar a imprevisibilidades dentro de um projeto através de entregas incrementais e ciclos iterativos. As metodologias ágeis passaram a ser uma alternativa aos métodos tradicionais, também conhecidos como métodos pesados ou clássicos.

Os métodos ágeis buscam promover um processo de gerenciamento de projetos que incentiva a inspeção e adaptação frequente. É uma filosofia que acaba por incentiva o maior trabalho em equipe, a auto-organização, a comunicação frequente, o foco no cliente e a entrega de valor. Basicamente, os métodos ágeis são um conjunto de práticas eficazes que se destinam a permitir a entrega rápida e de alta qualidade do produto, tendo uma abordagem de negócios que alinha o desenvolvimento do projeto com as necessidades do cliente e os objetivos da empresa.

O manifesto ágil

Em fevereiro de 2001, uma reunião nas montanhas nevadas do estado norte-americano de Utah no resort de inverno e verão Snowbird, marcava o surgimento e propagação do paradigma dos métodos ágeis. Essa reunião desencadeou o que conhecemos hoje como manifesto ágil, se tornando um grito de guerra para a indústria de software e para aquelas dezessete pessoas. O manifesto ágil possui doze princípios e quatro valores, sendo eles:

  • Indivíduos e interação entre eles mais que processos e ferramentas;
  • Software em funcionamento mais que documentação abrangente;
  • Colaboração com o cliente mais que negociação de contratos;
  • Responder a mudanças mais que seguir um plano.

Cada método ágil existente hoje carrega consigo os valores e princípios arraigados no manifesto ágil. Se você quiser descobrir e entender tudo sobre o manifesto, sugiro que dê uma lida nesse artigo: Manifesto ágil, como tudo começou.

O Scrum não é Agile, o Scrum está dentro do Agile…

Muitas pessoas começam a conhecer os métodos ágeis através do Scrum, e se confundem associando erroneamente o Scrum como se fosse o Agile (definição de ágil ou métodos ágeis em inglês). Encarre os métodos ágeis como um guarda chuva onde vários métodos caem sobre ele, sendo assim, o Scrum é apenas um subconjunto dos métodos ágeis, assim como o Kanban, XP, ASD ou FDD. O fundador do Scrum (Schwaber e Sutherland, 1995) o descreveu como uma estrutura de processos que tem sido usado para gerenciar o desenvolvimento de produtos complexos desde o início da década de 1990.

O Scrum não é um processo ou uma técnica para a construção de produtos, ao contrário, é um framework no qual você pode empregar diversos processos e técnicas. O Scrum é frequentemente usado para gerenciar softwares e desenvolvimento de produtos complexos, utilizando práticas iterativas e incrementais.

Métodos são ferramentas

Métodos são como ferramentas, você deve usar o que melhor se encaixar no contexto da sua organização. Imagine uma serra elétrica que é utilizada como um machado, nem preciso te falar que os resultados seriam desastrosos e a produtividade também. Estude e descubra mais métodos ágeis, não fique apenas no mundo do Scrum, em algumas situações você precisará entender o que melhor se aplica ao seu contexto. É isso, espero ter ajudado! 🙂

Você pode gostar também