CULTURA/MINDSET

Manifesto ágil, como tudo começou

Manifesto ágil, como tudo começou
Manifesto ágil, como tudo começou

Nos últimos anos grandes empresas vêm gerando ganhos significativos em produtividade com reduções equivalentes no custo. A real possibilidade de introduzir no mercado produtos com mais rapidez e níveis elevados de satisfação, tem popularizado os métodos ágeis ao redor do mundo. As recompensas para quem decide ser ágil são grandes, não à toa, empresas como Google, Yahoo, Microsoft e IBM os utilizam.

Mas, afinal de contas, como tudo começou? Foi pra contar essa história que decidi escrever este artigo, levei em consideração artigos que o próprio Martin Fowler (um dos 17 integrantes do manifesto ágil) escreveu em seu próprio blog e outras fontes seguras. Vamos então para a história.

A história

Na primavera de 2000 um grupo de líderes da comunidade do Extreme Programming se reuniram na parte rural de Oregan, o intuito era discutir as várias questões que envolviam o processo de desenvolvimento com XP (Extreme Programming). Na reunião foi debatida a relação entre XP e processos semelhantes conhecidos inicialmente como métodos leves (Lightweight Methods), uma denominação aos novos métodos de desenvolvimento de software que começavam a surgir naquela época. Os métodos leves seguiam uma reação adversa aos métodos pesados, que tinham como características a formalização exagerada nas documentações e regulamentações, sendo em uma grande maioria, influenciadas pelo tradicional e burocrático modelo em cascata.

Como consequência, concluíram que o XP era melhor como um método específico, porém, concordaram que havia um espaço comum entre o XP e os métodos leves. Um dos presentes nesta reunião, Robert Cecil Martin ou carinhosamente chamado de Tio Bob, decidiu montar uma reunião com pessoas interessadas nos métodos leves. Uma ampla escala de pessoas foram contatadas, sendo elas, interessadas ou atuantes no meio. Em fevereiro de 2001, uma reunião nas montanhas nevadas do estado norte-americano de Utah no resort de inverno e verão Snowbird (foto principal desse post), marcava o surgimento e propagação do paradigma de desenvolvimento de softwares ágeis. Infelizmente, muitas das pessoas que estavam dispostas a ir tiveram que se ausentar. Ao entanto, dezessete pessoas (incluindo o Tio Bob) compareceram, elas dariam início naquele momento mesmo sem saber ao manifesto ágil.

Ao decorrer da reunião um consenso comum sobre aspectos importantes em desenvolvimento de software fluíam. Logo, todos acharam melhor elevar aquela reunião a um patamar maior. Decidiram escrever um documento que serviria como grito de guerra aos novos processos de desenvolvimento de software. A primeira parte se resumia a encontrar um nome que expressasse bem o significado daquele movimento, métodos leves deixaram de ser uma opção válida, pois não explanavam o significado desejado. Após considerar vários nomes decidiram que a palavra “ágil” melhor captava a abordagem proposta.

A segunda parte da reunião foi dedicada à escrita de um documento que desencadearia o manifesto ágil, nele estaria contido a declaração das crenças e valores que aquelas dezessete pessoas possuíam. Na última parte e nos meses seguintes os princípios foram trabalhados. O manifesto ágil se tornou um grito de guerra para a indústria de software e para aquelas dezessete pessoas. Ele consegue expressar claramente o que defende e o que opõe, deixando bem claro o que é, e o que não é ágil.

Os profissionais que originaram o manifesto ágil foram:

Os quatro valores e os doze princípios do manifesto ágil

Manifesto para o desenvolvimento ágil de software

Estamos descobrindo maneiras melhores de desenvolver software fazendo-o nós mesmos e ajudando outros a fazê-lo. Através deste trabalho, passamos a valorizar:

  • Indivíduos e interação entre eles mais que processos e ferramentas;
  • Software em funcionamento mais que documentação abrangente;
  • Colaboração com o cliente mais que negociação de contratos;
  • Responder a mudanças mais que seguir um plano.

Ou seja, mesmo havendo valor nos itens à direita, valorizamos mais os itens à esquerda.

Os doze princípios do manifesto ágil são:

  • Nossa maior prioridade é satisfazer o cliente através da entrega contínua e adiantada de software com valor agregado.
  • Aceitar mudanças de requisitos, mesmo no fim do desenvolvimento. Processos ágeis se adequam a mudanças, para que o cliente possa tirar vantagens competitivas.
  • Entregar frequentemente software funcionando, de poucas semanas a poucos meses, com preferência à menor escala de tempo.
  • Pessoas de negócio e desenvolvedores devem trabalhar diariamente em conjunto por todo o projeto.
  • Construir projetos em torno de indivíduos motivados. Dando a eles o ambiente e o suporte necessário, e confiando neles para fazer o trabalho.
  • O método mais eficiente e eficaz de transmitir informações para e entre uma equipe de desenvolvimento é através de conversa face a face.
  • Software funcionando é a medida primária de progresso.
  • Os processos ágeis promovem desenvolvimento sustentável. Os patrocinadores, desenvolvedores e usuários devem ser capazes de manter um ritmo constante indefinidamente.
  • Contínua atenção a excelência técnica e bom design aumenta a agilidade.
  • Simplicidade: a arte de maximizar a quantidade de trabalho não realizado é essencial.
  • As melhores arquiteturas, requisitos e designs emergem de times auto-organizáveis.
  • Em intervalos regulares, a equipe reflete sobre como se tornar mais eficaz e então refina e ajusta seu comportamento de acordo.

Com o manifesto ágil foi necessário uma organização que se configurasse permanente e o representasse. Então, no final de 2001, nasceu a Agile Alliance. Trata- se de uma organização sem fins lucrativos que procura promover o conhecimento e discussões sobre os vários métodos ágeis, hoje, existentes no mundo. Muitos dos membros do manifesto ágil, citados anteriormente, são integrantes dessa aliança. Informações complementares sobre a Agile Alliance podem ser obtidas em www.agilealliance.org.

Cada método ágil existente hoje carrega consigo os valores e princípios arraigados no manifesto ágil, métodos como SCRUM, KANBAN e XP os trazem, por isso são denominados ágeis. Os melhores métodos para desenvolvimento de software devem ser encorajados, e acredito fielmente que os processos ágeis são cabíveis desse encorajamento, já que em sua totalidade conseguem agregar o maior conjunto de benefícios na construção de um sistema.

Não se esqueça, agile não é um método, é uma maneira de pensar. Um grande abraço e até a próxima!

Gostou? Então deixe seu comentário e compartilhe com seus amigos. :)

Você pode gostar também